Translate

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

QUANDO ÍMPIOS MINISTRAM NO ALTAR


Os filhos de Eli eram ímpios; não se importavam com o Senhor. ISm 2.12

Quando pensamos em restaurar o altar de uma Igreja necessitamos entender que a primeira parte desta restauração é nas vidas dos líderes desta Igreja. Ai da Igreja cuja liderança é ocupada por gente ímpia. E o texto de ISm 2.12 nos dá uma clara definição do que é um ímpio: alguém que não se importa com o Senhor.

Para um líder ímpio (pastor, ministro, levita, presbítero, doze...) as coisas concernentes ao Reino, à Igreja e ao Povo de Deus não são importantes. A adoração, o culto, a pregação da Palavra, o discipulado - nada disso é importante para o líder ímpio. Ele se importa consigo mesmo.

Os filhos do sacerdote Eli exemplificam claramente o perfil deste tipo de líder e ministro. Eram imorais, viviam em adultério. Profanavam o altar e roubavam as ofertas. Insubmissos, não respeitavam a liderança do próprio pai. Rebeldes, não tinham nenhum temor a Deus. Eram péssimas referências para a nação de Israel. Em IISm 2.17, a Bíblia reputa que o pecado de Hofni e Finéias era "muito grande" - o típico "pecado para a morte" referido pelo apóstolo João em sua primeira Epístola (IJo 5.16).

Como os ministros do altar eram ímpios, a Glória de Deus afastou-se de Israel. Por isso, derrotas militares, empobrecimento e muita humilhação recorreu sobre o Povo (ISm 4.21). Ministros ímpios conduzem ministérios "icabódicos" - sem Glória de Deus. Para tentar substituir o insubstituível, tais ministros recorrem a recursos puramente humanos: marketing pessoal, manipulação psicológica, ilusões, enganação, mercantilização...

Um detalhe especial é registrado em ISm 3.1: "Naqueles dias raramente o Senhor falava". Quando os ministros são ímpios e o altar é destruído, o Senhor silencia. E a Palavra de Deus é o pão do Céu para o Povo de Deus. Faltando este pão, o povo definha e adoece. Ministros ímpios pregam amenidades, mensagens de autoajuda e ilusão. 

Este é o tempo de restaurar e aperfeiçoar a santidade, o temor de Deus e a fidelidade nas vidas dos líderes da Igreja. A Igreja do avivamento tem uma liderança autenticamente santa, fiel e cheia do Espírito. 

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

O ADORADOR E A SANGUESSUGA


Duas filhas tem a sanguessuga. "Dê! Dê!", gritam elas. (Pv 30.15)

A Bíblia utiliza a figura da sanguessuga, cuja principal característica é o fato de alimentar-se do sangue de outros animais (hematófago) para ilustrar o tipo de pessoa que sobrevive de explorar os outros. O autor bíblico afirma que as "sanguessuguinhas" vivem para pedir: me dê, me dê... 

O apóstolo Paulo é um grande exemplo bíblico acerca da postura que devemos ter como servos de Deus. Em pelo menos quatro passagens ele expressa sua postura de "não ser pesado" à Igreja, de não explorar ou tirar proveito dos bens dos irmãos em Cristo (II Co 11.8 e 9, II Co 12.14, I Ts 2.9 e II Ts 3.8). 

trabalhamos noite e dia para não sermos pesados a ninguém, enquanto lhes pregávamos o Evangelho de Deus. ITs 2.9

O melhor de Deus é reservado aos adoradores, aos fiéis, aos agradecidos. Exploradores de bênçãos encontram dificuldades em acessar o "tesouro de Deus". 

Deem ao Senhor a glória devida ao Seu Nome, e entrem nos seus átrios trazendo ofertas. Sl 96.8

Os adoradores não priorizam pedir, mas sim o dar Glória ao Nome que merece toda a Glória. E demonstram isto trazendo com alegria ofertas à Casa do Senhor.

 

CONGRESSO ANUAL DOS HOMENS DA IBVN


Nos dias 19 e 20 de janeiro de 2015, 2a. e 3a., 20 h, promoveremos mais um CONGRESSO DE HOMENS. O local das ministrações será o RECANTO VIDA NOVA, em Valinhos. 

As inscrições podem ser feitas na sede da IBVN, tanto na secretaria como junto ao Governo.

O tema do Congresso visa fortalecer nos homens o Princípio do sacerdócio do esposo junto a sua família. Para os homens casados será um tempo de aprendizado e reciclagem. Para os solteiros, uma preparação para um futuro de bênção.

 

 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

QUANDO UMA IGREJA É LIDERADA POR CARNAIS, IMATUROS OU MUNDANOS


De modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. I Co 3.7

A liderança da Igreja de Cristo na cidade de Corinto, na Grécia, era exercida por gente "carnal, crianças em Cristo" (ICo 3.1), que "agiam como mundanos" (vs. 3 e 4). O apóstolo confrontou tal liderança e exigiu deles uma mudança. Afinal, que futuro tem uma Igreja onde sua liderança é carnal, imatura e mundana?

Aprendemos com o apóstolo Paulo que um líder carnal, imaturo e mundano "não suporta alimento sólido da Palavra" (vs. 1 e 2). Tais líderes continuavam no nível do "leite", o alimento que as "crianças em Cristo" são capazes de digerir. O ensino bíblico que suportam é o básico, o óbvio. As narrativas bíblicas e as promessas são sua preferência.

Quando uma liderança é rasa na doutrina/ensino a Igreja torna-se um ambiente propício a todo tipo de confusão. "Ventos de doutrina" são ensinos confusos que tendem a abalar a fé de quem é criança ou imaturo no ensino. Em Efésios 4.14, Paulo explica que as "crianças" na fé são levados pelos "ventos de doutrina" e facilmente enganados por gente maligna, astuta e espera que tentam manipular o rebanho e levá-lo ao erro. Precisamos de líderes bem fundamentados na Palavra, no Ensino de Cristo e que não cedam a nenhum tipo de "vento".

Aprendemos com o apóstolo Paulo que numa Igreja onde a liderança é carnal, imatura e mundana prevalecem a inveja e a divisão (v. 3). Ao invés de inveja, divisão e competição (típicos de gente carnal e imatura), devemos nos portar como COOPERADORES de Deus (v. 9). Entendendo que conquistas e crescimento na Igreja são OBRAS DE DEUS (v. 6).

Paulo usou o exemplo de Apolo, Cefas e dele mesmo. Cada um destes líderes exerceu influência na Igreja dos Coríntios. Porém, de nada teria valido o trabalho de cada líder se o próprio Deus não agisse. Paulo, Apolo, Cefas e você que lê este texto são apenas, apenas, apenas e apenas, servos de Deus. 

Somos lembrados pelo apóstolo Paulo sobre o papel do discipulador na Igreja de Jesus (vs. 5 a 7). Um discipulador ou líder na Igreja é apenas um servo do Senhor. Jesus é o Senhor. Ele é o responsável pelo nosso crescimento. Ele pagou o preço pela Igreja e pela vida de cada discípulo. Por isso Paulo afirmou que "nem o que planta, nem o que rega é alguma coisa" (v. 7). Deus é ÚNICO. Ele é quem efetua o crescimento do nosso ministério.

Mas o líder imaturo e carnal tende a sentir-se "dono do ponto", proprietário do ministério e dos discípulos. Este texto nos ajuda a lembrar que o fundamento da Igreja é Jesus Cristo (v. 11) e sobre este fundamento estamos "construindo". Não podemos construir por ganância, inveja, competição... Construímos por amor, obediência, fidelidade e em prol de que Ele seja exaltado e glorificado. 

Uma liderança que rompe com a imaturidade, carnalidade e mudanismo é apta para entrar no nível sobrenatural de colheita de frutos.  Então, ore ao Senhor e reconsagre-se como servo dEle. Disponha-se a crescer na Palavra, na fé e na comunhão com seus irmãos. 
 

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A IGREJA PRECISA DE LÍDERES SÁBIOS E ENTENDIDOS


Quem é sábio e tem entendimento entre vocês? Tiago 3.13

A Igreja local que conta com gente tola ou ignorante ocupando sua liderança tende a viver diversos problemas que são resumidos em Tiago 3.16: confusão e toda espécie de males. E para que a Igreja não seja um território de confusão (babel), é necessário que sua liderança seja sábia e entendida. Por isso, Tiago registrou a pergunta: Quem é sábio e tem entendimento entre vocês?

Líderes sem sabedoria, tolos e ignorantes põem o rebanho a grandes riscos. Nas prerrogativas para que alguém se torne pastor na Igreja, Paulo escreveu que não ser neófito é uma delas. Neófito significa "novo na fé" ou inexperiente, imaturo, despreparado (I Tm 3.6). Neste texto Paulo explica o risco que corre um pastor neófito: para que não se ensoberbeça e caia na mesma condenação em que caiu o Diabo. Nada pior para uma Igreja do que ter líderes que reproduzem a rota traçada pelo Diabo.

Precisamos de uma liderança sábia e inteligente. Sábios com a sabedoria que buscamos e encontramos em Deus. Tiago 3.17 registra que a sabedoria que Deus nos dá é: pura, pacífica, amável, compreensiva, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial e sincera. No verso 13, Tiago acrescenta que a sabedoria que Deus nos dá está atrelada também à humildade. Ou seja: líderes sábios são humildes de verdade. 

A sabedoria e a inteligência dependem também de esforço e dedicação. Nossas inteligências e habilidades naturais precisam ser desenvolvidas pelo uso constante. É o que Hebreus 6.14 ressalta: O alimento sólido é para os adultos, os quais pelo exercício constante, tornam-se aptos para discernir tanto o bem como o mal. A mente precisa ser estimulada. A fé também precisa ser alimentada. Por isso o texto bíblico afirma que para digerirmos "alimentos sólidos", referindo-se à doutrina da Palavra, é preciso desenvolvermos nossa mente pelo esforço e perseverança. 

Que livros você está lendo? Quantos livros você adquiriu e leu neste ano? Qual o tamanho da sua biblioteca? Sobre que temas você é capaz de discorrer, de conversar? Quais são os assuntos que lhe interessam? 

Ai da Igreja que cai na mão de gente invejosa e egoísta! Tiago, no mesmo capítulo 3, denuncia as pessoas que estão nas Igrejas mas que são desqualificadas a ocuparem liderança. Desqualificadas porque são "espertas para o mal" - têm o que Tiago chama de "sabedoria maligna" (Tg 3.14). É gente que mais parece discípula do Diabo do que de Cristo. Tiago diz que a "sabedoria maligna" que estas pessoas têm é diabólica. E, justamente por isso, produzem "confusão e toda espécie de males" em suas respectivas Igrejas.

Quem são os sábios e entendidos entre nós? Daniel e seus amigos se esforçaram e consagraram. Em pouco tempo eram dez vezes mais sábios e entendidos do que os especialistas da Babilônia. Pois a Igreja do Avivamento precisa de líderes do porte de Daniel, Hananias, Misael e Azarias. 

Não abrimos mão de formarmos um exército de sábios e entendidos na Palavra e em matéria de viver dignamente em Deus. 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A MENTE PREPARADA DE UM LÍDER FIEL


Portanto, estejam com a mente preparada, prontos para agir; estejam alertas e coloquem toda a esperança na graça que lhes será dada quando Jesus Cristo for revelado. I Pedro 1.13

O apóstolo Pedro recomendou que os crentes tenham a "mente preparada" para poderem atuar em cumprimento à Missão que o Senhor nos entregou.

1o. Ter a mente preparada significa ser curado de todos os traumas emocionais. Toda pessoa traumatizada nas emoções torna-se um prisioneiro do passado. As feridas na mente, provocada por sentimentos não resolvidos, intoxicam a pessoa e impedem sua mente de sonhar, planejar e agir com equilíbrio e eficiência.

O remédio para a cura de todo trauma emocional se chama "perdão e confissão" (Sl 103.3: É Ele que perdoa todos os seus pecados e cura todas as suas doenças. Tg 5.16: Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados.

2o. Ter a mente preparada significa ter uma identidade espiritual em Cristo. Em I Pe 1.14, o apóstolo nos faz lembrar que somos "filhos obedientes de Deus". No verso seguinte, ele afirma que fomos chamados a "sermos santos", como o nosso Pai. Saber quem você é em Cristo é indicativo de ter uma mente preparada para exercer o Ministério. 

3o. Ter a mente preparada significa também vencer a ignorância. Ser ignorante significa não saber o que você tem o dever de saber. Há muitas coisas que não tenho obrigação de conhecer. Porém, como servos de Deus temos o dever de conhecer os Princípios da vida em Cristo, a Doutrina da fé, o Caráter de Deus e a Visão que Ele tem para nós.

Em Oséias 4.6, o Senhor afirma: Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. Em Dt 4.6, o Senhor anuncia seu desejo de que Israel seja reconhecido pelas outras nações como um povo sábio e inteligente. Este é o desejo de Deus em relação à Igreja de Cristo também. Rompa com a ignorância!

4o. Ter a mente preparada significa ainda desenvolver a inteligência emocional. Há irmãos que têm grande capacidade e que poderiam ser canais de muitas bênçãos para o Corpo de Cristo, mas que põem a perder oportunidades e recursos por pura falta de inteligência emocional. São inaptos a lidar com contrariedades e frustrações. São infantis emocionalmente para lidar com críticas e cobranças.

A inteligência emocional consiste em adquirir habilidade para suportar e manter equilíbrio em face a angústias. Em Pv 25.28, a Bíblia afirma: Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se. Em Pv 29.11: O tolo dá vazão à sua ira, mas o sábio domina-se. Inteligência emocional é a capacidade de dominar-se e não se deixar levar por sentimentos. Ter a mente preparada significa ser equilibrado emocionalmente.

Que você seja um líder com a mente preparada para que muitas vidas sejam abençoadas através de sua vida. 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

OS BOANERGES TÊM SEDE DE VINGANÇA


Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. E enviou mensageiros à sua frente. Indo estes, entraram num povoado samaritano... Lucas 9.51-52

Boanerges foi o nome que Jesus, o Senhor, deu aos apóstolos filhos de Zebedeu, Tiago e João. Quem revela este fato é Marcos (Mc 3.17). Nem mesmo o Evangelho escrito por João contém esta informação - ao contrário, João referiu-se a ele mesmo como "o discípulo amado". Boanerges, na língua aramaica, significa "filhos do trovão" - sinônimo de briguentos, irados, tempestivos...

No primeiro ano do ministério de Jesus, na cidade de Sicar, os apóstolos tiveram a oportunidade de aprender uma grande lição com o Mestre. Em João 4 temos o relato do encontro de Jesus com a mulher samaritana e do resultado maravilhoso, com uma grande parte da população da cidade se rendendo a Jesus. 

Praticamente três anos depois, já nas semanas que antecederam a Paixão, os apóstolos passam novamente com Jesus pelo território samaritano. E os irmãos Boanerges dão mostras da razão de terem recebido esta alcunha. Diante da recusa do povoado samaritano em receber a Jesus e sua Equipe, os apóstolos Tiago e João tiveram a pachorra de oferecer esta solução para Jesus: Senhor, queres que façamos cair fogo do céu para destruí-los? (Lc 9.54).

A resposta de Jesus foi contundente: Vocês não sabem de que espécie de espírito são, pois o Filho do homem não veio para destruir a vida dos homens, mas para salvá-los. (Lc 9.55). Ou seja, tanto tempo caminhando com Jesus e ainda estavam tão longe de comungar da Visão e do caráter dEle!

Os Boanerges eram da linha de frente dos Doze! Eram do reteté!!! Tinham fé suficiente para crer que obteriam manifestação somente conquistada por gente do quilate de Elias. Mas faltava-lhes o principal: Visão do Reino dos Céus e caráter de Jesus. Eles precisavam ver como Jesus, amar como Jesus e buscar o que Jesus buscava em prol das pessoas.

Seja como Jesus. Ame os inimigos. Queira a salvação dos antipáticos. Libere perdão a todos que lhe ofenderem. E busque primeiro o Reino de Deus.